História do café e a sua chegada ao Brasil

O café foi descoberto há muito tempo, por volta do século III d.c na Etiópia, por isso existem muitas lendas em torno da história. A mais famosa é de um pastor de cabras, chamado Kaldi, que certa noite saiu a procura de suas cabras e encontrou-as saltitando perto de um arbusto com frutos vermelhos. Curioso Kaldi, colheu alguns frutos e resolveu experimentar e sentiu uma estranha energia, assim como seu rebanho.

Kaldi intrigado colheu mais alguns frutos e levou para um mosteiro, mas as reações não foram como ele esperava, então decidiu atear fogo no café. O maravilhoso aroma foi sendo exalado durante a queima e atraiu todos os monges, que recolheram os grãos das cinzas e experimentaram esmagar na água. Assim, o café conquistou os seus primeiros apaixonados.

Aqui no Brasil o café chegou muito tempo depois, só em 1727, trazido pelo Francisco de Melo Palheta que foi enviado para a Guiana Francesa em uma expedição representando a Coroa portuguesa. Seu proposito oficial era verificar se a França estava cumprindo o Tratado de Utrecht mas o verdadeiro objetivo era trazer algumas mudas ou sementes do café.

Palheta percebendo que não conseguiria as sementes com o governador, resolveu se aproximar da Madame D” Orvilliers, que não resistiu aos encantos do jovem e lhe entregou um ramo de flores, onde se encontravam escondidas as sementes do café, e assim o café chegou ao Brasil.

Atualmente o Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de café do mundo, com lavouras que são capazes de cobrir mais de 2 milhões de campos de futebol.

Deixe uma resposta